LABORATÓRIOS

Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Museu Nacional
Tel: (21)9967-0330
E-Mail: lccr@mn.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: Preservação Patrimonial, Atividades e pesquisas concernentes à área de Conservação-Restauração de bens culturais móveis, Educação Patrimonial
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Depto. de Botânica - Horto Botanico/Museu Nacional/UFRJ Quinta da Boa Vista s/nº, São Cristóvão CEP 20940-040 Rio de Janeiro, Brasil Laboratório de Anatomia Vegetal Depto. de Botânica Coordenadora Programa de Pós-graduação em Botânica Museu Nac
Tel: (21)2562-6953
E-Mail: lygia@mn.ufrj.br
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/posbotanica/
Atividade: Pesquisa em Anatomia Vegetal, em especial das estruturas reprodutivas de Samambaias e de Angiospermas (flor, semente e fruto).
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Lygia Dolores Ribeiro de S Fernandes
Barbara de Sa Haiad
Endereço: Departamento de Botânica; Museu Nacional
Tel: (21)3938-1153
E-Mail: barbara@mn.ufrj.br
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/posbotanica/laboratorios/laboratorio-de-anatomia-reprodutiva/Não Informado
Atividade: Estudos em anatomia do eixo reprodutivo e estruturas secretoras associadas. Estudos em anatomia e desenvolvimento florais, fecundação e desenvolvimento do embrião, da semente e do fruto. Processamento, análise e documentação de material botânico. Realização de atividades didáticas práticas.
Unidade: Museu Nacional
Instituto de Filosofia e Ciências Sociais
Coordenador: Carlos Fausto
Luiz Antonio Lino da Silva Costa
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Palácio
Tel: (21)2568-9642
E-Mail: cfausto63@gmail.com
Home: http://www.ppgasmn-ufrj.com/larme.html
Atividade: O LARMe nasceu da confluência de estudos e projetos desenvolvidos na intersecção entre uma antropologia da arte, do ritual e da memória, com um foco privilegiado sobre as populações indígenas das Américas, embora não se restringindo a esse continente. O laboratório se define como estando "na intersecção de" por interessar-se pela fronteira entre campos diversos: o ritual e a estética, o xamanismo e a política, a música e a memória, a etnografia da fala e a cognição, a pragmática e as ontologias, o ritual e o espetáculo, o cinema e o cotidiano, a cultura e a patrimonialização, o esquecimento e as mnemotécnicas, os conhecimentos locais e científico. A aposta é francamente etnográfica: nossos objetos são eventos no mundo, fenômenos visíveis, audíveis, táteis com odor e sabor. Não se trata de uma opção antiteórica, mas de uma escolha antropológica: começar sempre em algum lugar com um objeto-sujeito específico e daí tecer as teias teóricas das pesquisas. Os produtos visados não são apenas bibliográficos, mas incluem também exposições, filmes, ensaios fotográficos e espetáculos em geral.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Departamento de Antropologia
Tel: (21)2554-6695
E-Mail: renata.menezes@mn.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: Pesquisas na área da antropologia dos rituais, performances, festas populares. Pesquisas nas áreas de materialidades, notadamente as religiosas. Atualização de teorias antropológicas sobre religiões, sagrado e o papel do lúdico nos grupos sociais. O Ludens é o laboratório que sedia, no Museu Nacional, o Grupo de Pesquisas em Antropologia da Devoção, registrado no CNPq.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Olivia Maria Gomes da Cunha
Endereço: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Museu Nacional - Horto Botânico da Quinta da Boa Vista, s/n - São Cristóvão - Rio de Janeiro RJ - Brasil - 20940-040
Tel: (21)2568-9642
E-Mail: lahmuseu@gmail.com
Home: http://lahppgas.museunacional.ufrj.br
Atividade: O lah é uma rede de antropólogos e historiadores, um Grupo de Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq, e um núcleo de pesquisa vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (LAH/PPGAS/MN/UFRJ). Desde sua criação em 2001, abriga diferentes redes de pesquisadores vinculados a instituições sediadas no país e no exterior. O ponto de partida para a criação do grupo foi o interesse em ampliar o campo de reflexão e diálogo entre a antropologia e a história. Para isso era importante criar condições para o desenvolvimento da pesquisas e, principalmente, formas alternativas de interlocução acadêmica entre os praticantes das duas disciplinas. Desde os primeiros anos o lah tem procurado explorar diferentes modalidades de debate, formação acadêmica e diálogos interdisciplinares e interinstitucionais. As atividades e pesquisas, individuais e coletivas, promovidas nos últimos anos têm se caracterizado pela diversidade de temas, formatos e iniciativas. Desde 2009, algumas experiências coletivas consolidaram redes formais e informais com instituições acadêmicas como a UNICAMP, a USP, a New York University, o Fernand Braudel Center/State University of New York, a City University of New York e a Colúmbia University, em alguns casos possíveis graças ao apoio de agências de fomento como o CNPq, a CAPES, a FAPERJ e a FINEP/Convênio PPGAS/UFRJ.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Palácio
Tel: (21)2568-9642
E-Mail: Não Informado
Home: http://www.ppgasmn-ufrj.com/anaconda.html
Atividade: Não Informado
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Não Informado
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: mcleide@acd.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: Não Informado
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Prédio do Dept de Vertebrados - Térreo - Horto - Quinta da Boa Vista (localização provisória, pós-incêndio)
Tel: (21)3938-1184
E-Mail: adrianok@gmail.com
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/mndi/Aracnologia/aracnol.htm
Atividade: Estudo da sistemática, evolução e biogeografia de aracnídeos. Taxonomia e sistemática de Opiliones neotropicais.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Rita Scheel Ybert
Endereço: Museu Nacional, UFRJ - Setor de Arqueologia, Departamento de Antropologia
Tel: (21)98184-0212
E-Mail: scheelybert@mn.ufrj.br
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/arqueobotanica/
Atividade: Atividades de ensino, pesquisa e extensão nas diversas áreas da Arqueobotânica, com ênfase em estudos de paisagem, consumo e produção de alimentos, uso de plantas, reconstituição paleoambiental e ecologia histórica. Análises de macro e microvestígios vegetais de contexto arqueológico, especialmente carvões (Antracologia), fitólitos e grãos de amido (Microarqueobotânica), frutos e sementes (Carpologia). Guarda de acervo arqueobotânico e de coleções de referência.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Térreo do Museu Nacional - Quinta da Boa Vista
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: talima@montreal.com.br
Home: Não Informado
Atividade: Não Informado
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Museu Nacional
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: torresdesouza@yahoo.com
Home: Não Informado
Atividade: O Laboratório de Arqueologia Histórica é voltado ao estudo arqueológico do período histórico. Propõe-se a 1) servir como espaço de identificação, análise e interpretação de artefatos e coleções arqueológicas históricas; 2) fomentar e possibilitar desenvolvimentos metodológicos no campo da Arqueologia histórica: e 3) servir como e espaço de interação acadêmica e trocas de experiências entre pesquisadores interessados no tema e ligados aos projetos de pesquisa acolhidos no Museu Nacional.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Palácio
Tel: (21)3938-1135
E-Mail: bnclaudia@gmail.com; lessa.mn@gmail.com
Home: Não Informado
Atividade: Não Informado
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Horto Botânico do Museu Nacional, Quinta da Boa Vista
Tel: (21)9103-3019
E-Mail: joanazanol@mn.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: Estudos sobre a diversidade, biologia e evolução de Annelida com ênfase nos poliquetas. Formação de alunos de iniciação científica, mestrado e doutorado. Curadoria da Coleção Zoológica de Polychaeta do Museu Nacional.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Palácio do Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Anexo
Tel: (21)3938-1190
E-Mail: muricy@mn.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: Pesquisa científica sobre taxonomia, distribuição e biologia de esponjas marinhas (Filo Porifera), com ênfase nas esponjas do Brasil e na classe Homoscleromorpha.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Horto Botânico do Museu Nacional - Quinta da Boa Vista sem número, São Cristóvão
Tel: (21)3938-6959
E-Mail: heloisa.alc@gmail.com
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/posbotanica/
Atividade: O laboratório desenvolve pesquisa em reprodução das Angiospermas, incluindo as áreas de fenologia, ecologia da polinização, biologia reprodutiva, estruturas secretoras de recursos florais, principalmente em vegetação de restingas e de campos rupestres. Oferece estágio para alunos de iniciação científica e participa do Programa de Pós-graduação em Ciências Biológicas-Botânica, ministrando disciplinas e orientando alunos de mestrado e doutorado.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Cristiana Silveira Serejo
Irene Azevedo Cardoso
Endereço: Horto Botânico - Quinta da Boa Vista
Tel: (21)3938-1185
E-Mail: csserejo@acd.ufrj.br; irenecardoso@mn.ufrj.br
Home: www.carcino.mn.ufrj.br
Atividade: Estudos de Sistemática, Taxonomia e Evolução de Crustacea com ênfase em Peracarida e Decapoda.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: 3º andar do Palácio do MN - Quinta da Boa Vista / Departamento de Entomologia
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: cleidecollembola@gmail.com
Home: www.museunacional.ufrj.br/mnde/
Atividade: Pesquisa em Taxonomia de Collembola Ministração de 03 Disciplinas: 01 em Collembolla em Curso de Graduação (UFRJ) e 02 em Apterygota nos Cursos de Mestrado e Doutorado da Pós-Graduação em Zoologia do Museu Nacional (UFRJ) Orientação de estagiários de Iniciação Científica e alunos de Pós-Graduação Curadoria da Coleção de Apterygota Excursões para Coleta de Material Científico Parecer de Trabalhos Científicos de Revistas e Instituições Científicas
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Marcela Laura Monne Freire
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Palácio
Tel: xxxxxxxxxxx
E-Mail: mlmonne2@gmail.com
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/entomologia/index.html
Atividade: Sistemática de Coleoptera (Insecta) com ênfase na Região Neotropical.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Marcia Souto Couri
Valéria Cid Maia
Endereço: Museu Nacional, Quinta da Boa Vista, São Cristóvão, Rio de Janeiro. Prédio Anexo - Alípio Miranda Ribeiro, sub-solo
Tel: 21 991070359
E-Mail: courimarcia@gmail.com
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/mnde/diptera
Atividade: Pesquisa em Taxonomia, Sistemática, Filogenia. O Museu Nacional possui tradicional linha de pesquisa em Diptera e conta com excelente coleção científica representativa de várias famílias. O projeto é desenvolvido pela equipe do Laboratório de Diptera-Muscidae. Realiza estudos taxonômicos, biológicos e etológicos, entre outros, que enriquecem o conhecimento dos Diptera frente à interação biologia/morfologia/taxonomia. O projeto inclui estudos sobre as relações filogenéticas, posições sistemáticas dos gêneros dentro das famílias, com base em trabalhos e metodologias recentes. Tem como objetivos principais: contribuir para o estudo sistemático das famílias de Diptera nele enfocadas; descrever novos taxa e rever taxa conhecidos; buscar esclarecimentos sobre as relações filogenéticas intra e inter taxa, através do estudo e interpretação de caracteres e seus estados; contribuir para o conhecimento da morfologia de adultos e imaturos; realizar trabalhos de campo em diversas áreas, com a finalidade de conhecer a biodiversidade da dipterofauna, coletar material, ampliar a coleção do Museu Nacional, obter dípteros vivos para as criações; incrementar a infraestrutura de equipamentos e materiais gerais do laboratório para agilizar trabalhos e aprimorar sua qualidade e atender ao aumento e diversificação da equipe; preparar, identificar e incorporar na coleção material proveniente de coletas; preparar pessoal qualificado para atuação em sistemática de Diptera, especialmente em grupos carentes em estudos no Brasil. O projeto presta, ainda, colaboração com a sociedade, através de atendimento público, especialmente voltado para a identificação de exemplares, bem como esclarecimentos sobre sua biologia e eventuais riscos para a saúde e ainda parcerias com médicos e hospitais, auxiliando na identificação de parasitas.
RES. CEPG 08/2019
7 binoculares
3 microscóopios ópticos
Computador
Dell Computador
Notebook
Impressora
Desumidificador
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Leonardo Henrique Gil Azevedo
Endereço: Quinta da Boa Vista s/n, Museu Nacional
Tel: (21)00000000
E-Mail: lhgazevedo@mn.ufrj.br
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/simuliidae/
Atividade: Taxonomia, Filogenia, Morfologia e Biologia de Diptera (Insecta), com ênfase em dípteros aquáticos.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Antonio Brancaglion Junior
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Palácio
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: egiptologia@mn.ufrj.br
Home: https://seshat.museunacional.ufrj.br
Atividade: O único laboratório no país dedicado especificamente ao estudo da Arqueologia Egípcia (Egiptologia). Promove os estudos e pesquisas sobre o acervo egípcio do Museu Nacional (o maior da América Latina) além das pesquisas individuais de seus membros incluindo a participação em escavações arqueológicas no Egito. Realiza desde 2013 a Semana de Egiptologia do Museu Nacional (SEMNA) com a participação de professores e pesquisadores nacionais e internacionais que apresentam os resultados de seus trabalhos. Publica anualmente, com acesso livre, artigos científicos na revista on-line Estudos de Egiptologia. Divulga pelas redes sociais informações científicas produzidas pelos membros do laboratório, disponibilizando livros e artigos originais além de divulgar notícias relevantes sobre o Egito Antigo e o Mundo Antigo Oriental. As atividades do laboratório são realizadas por professores e alunos (graduação e pós-graduação) nacionais e internacionais ligados mais diretamente ao tema: Arqueologia, Antropologia, História. Mantendo um diálogo com outras áreas particularmente dos estudos Orientais, Letras e Filosofia; Museologia, Restauração e Conservação de Acervos e Patrimônio.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Tania Conceição Clemente de Souza
Endereço: Setor de Linguística - Museu Nacional UFRJ
Tel: (21)8777-9057
E-Mail: tania.clemente@mn.ufrj.br
Home: http://www.labedis.mn.ufrj.br/
Atividade: O LABEDIS está ancorado em dois eixos. Com sua existência institucionalmente aprovada no Museu Nacional e vinculação ao Setor de Linguística, o LABEDIS está ancorado, em termos políticos e científicos, em duas bases principais: (1) Uma Política de Memória é a iniciativa da criação de Fundos Documentais, gesto que toma como ponto de partida a organização do Fundo Documental Curt Nimuendajú, cujo processo de criação se dá a partir da implementação do projeto “Restauração e análise do acervo Curt Nimuendajú” (em andamento). (2) Um Espaço de Pesquisa e Reflexão onde estarão agregados projetos que, pela via da Análise de Discurso, venham a integrar aspectos do verbal e do não verbal. Neste espaço, apresentam-se, ainda, como metas a promoção de seminários, cursos de extensão e organização de publicações. O Labedis é elaborado, inicialmente, no sentido de manter no domínio da atualidade a memória de fundação do Setor de Linguística do Museu Nacional, cujo perfil, traçado pelo eminente professor Mattoso- Câmara, e com a iniciativa do professor Castro Faria, atende ao “esforço feito a partir de 1958 para dotar o Museu Nacional de um setor novo e altamente especializado de pesquisas linguísticas, no mais amplo sentido, e submete à crítica construtiva de outros pesquisadores, integrados no mesmo universo de conhecimentos, os critérios normativos que serviram de diretiva aos trabalhos desde então programados.” (L. de Castro Faria, 1965). A atualização dessa memória se alia, ainda, ao alcance interdisciplinar da Linguística, ao visar algo maior nas relações que se estabelecem entre as diferentes áreas de produção do conhecimento e os trabalhos desenvolvidos por aqueles que se empenham em deixar legado histórico que precisa ser preservado, tratado, organizado para estar disponível à consulta dos pesquisadores que estamos formando. Publicação: Policromias - revista de estudos do Discurso, Imagem e Som. (https://revistas.ufrj.br/index.php/policromias)
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Departamento de Botânica - Horto Botânico
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: lucisenna@gmail.com
Home: Não Informado
Atividade: O laboratório de Etnobotânica consta de uma sala com dois armários com livros diversos. A maioria atuais que são utilizados pelos alunos e professores. Fazem parte do acervo uma Lupa Zeiss para identificação de material botânico e 4 computadores, também indispensáveis para o trabalho.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Não Informado
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: Não Informado
Home: Não Informado
Atividade:
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Horto Botânico do Museu Nacional - Quinta da Boa Vista
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: vhuszar@gbl.com.br
Home: Não Informado
Atividade: Não Informado
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Marilia Lopes da Costa Faco Soares
Endereço: Museu Nacional - Departamento de Antropologia, Setor de Linguística
Tel: (21)3938-1142
E-Mail: marilia@mn.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: O laboratório em tela possui caráter multidisciplinar, atendendo a necessidades de diferentes áreas de conhecimento, além de colocar em evidência as possibilidades de interface entre as mesmas. Seu ponto central é a análise acústica acoplada à constituição de um banco de dados com possibilidade de investigações across-modality. Nos procedimentos laboratoriais estão inclusos: a visualização e a caracterização do detalhe sonoro, com fornecimento de pistas para o levantamento e testes de hipóteses relativas a representações fônicas vinculadas: (a) a aspectos da gramática de línguas específicas; (b) ao estudo de padrões sonoros das línguas naturais, com inclusão de estudos na esfera da produção, processamento e percepção da fala, nos níveis segmental, subsegmental e suprassegmental; (c) ao estudo de detalhes fonéticos de usos linguísticos que materializam, de um lado, a relação língua/cultura/sociedade e, de outro lado, língua e cognição; (d) ao estudo da produção, da dispersão e da recepção de sons por animais e o humanos.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Renato Rodriguez Cabral Ramos
Endereço: Departamento de Geologia e Paleontologia
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: rramos@mn.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: O GeoAntar conduz pesquisas integradas em sedimentologia, estratigrafia e paleontologia para melhor entender os processos que controlam os ambientes deposicionais pretéritos da Antártica. Nossa meta é a reconstrução paleoambiental de diversos períodos geológicos da Antártica, desde idades de dezenas de milhões de anos até o Quaternário recente (escala secular a milenar). Para tal, ferramentas multi-proxies (e.g. geoquímica, estatística multi-análise, datação radiocarbônica) com um arcabouço metodológico padronizado, são aplicadas a diferentes contextos. Nas pesquisas realizadas pelo GeoAntar, além da análise faciológica detalhada das sucessões sedimentares, com a identificação dos processos sedimentares vigentes à época e a sua evolução ao longo do tempo geológico, o registro fossilífero é utilizado para inferir as relações de longo termo entre a dinâmica biológica, mudanças climáticas e ecológicas. Simultaneamente, microfósseis são empregados também sob a ótica estratigráfica, que aliada à estratigrafia ajudam a construir o arcabouço temporal para as pesquisas.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Quinta da Boa Vista - Museu Nacional - Departamento de Geologia e Paleontologia
Tel: (21)3938-1174
E-Mail: castro@mn.ufrj.br
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/dgp/lagecost/index.html
Atividade: O Laboratório de Geologia Costeira, Sedimentologia e Meio Ambiente - LAGECOST do Departamento de Geologia & Paleontologia do Museu Nacional - UFRJ, foi criado em 2003 com intuito de suprir uma deficiência da UFRJ no campo da Geologia Costeira, Geologia Marinha “Oceanografia Geológica” e Geologia Ambiental. Resgatou as tradições do Museu Nacional em estudos geológicos de ambientes costeiros e marinhos iniciadas em 1916 através das expedições as ilhas oceânicas brasileiras em parceria com a Marinha do Brasil. Nos últimos 15 anos passaram pelo LAGECOST aproximadamente 150 alunos de Iniciação Cientifica, Especialização, Mestrado, Doutorado e Pós Doutorado. No âmbito do Departamento de Geologia / IGEO - UFRJ e do Museu Nacional - UFRJ, aproximadamente 1000 alunos cursaram as disciplinas de Geologia Marinha, Geologia Costeira, Geologia Ambiental e Sedimentologia, oferecidas pelo LAGECOST. Dispõe de infraestrutura laboratorial, viaturas e instrumentação para atender demandas de professores e alunos. As linhas de pesquisas são desenvolvidas na margem continental e no litoral brasileiro, principalmente no Estado do Rio de Janeiro e Nordeste Brasileiro. Trabalhos desenvolvidos nos últimos anos permitem aos pesquisadores do LAGECOST proporem soluções para diversos problemas em ambientes costeiros e marinhos, tais como: erosão costeira; soterramentos por dunas; avaliação de impactos ambientais em terrenos sedimentares; contaminação de praia por derivados de petróleo; identificação de áreas de risco geológico na plataforma e talude continental; assoreamento em portos, barragens etc. O LAGECOST é um dos maiores centros de referência do sudeste brasileiro em estudos de variação do nivel relativo do mar e dunas costeiras. Conhecimentos adquiridos através de dissertações de mestrado e teses de doutorado propiciaram o desenvolvimento de novas metodologias aplicadas a sedimentação carbonática / siliciclástica e estudos de variação de paleo níveis marinhos até então pouco conhecidos no Brasil.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Luciana Barbosa de Carvalho
Endereço: Setor de Paleovertebrados, Departamento de Geologia e Paleontologia, Museu Nacional
Tel: (21)0000-0000
E-Mail: curadoriapv@mn.ufrj.br; lucbc@acd.ufrj.br
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/dgp/setor_VER_colecao.html
Atividade: Organização da coleção, triagem, higienização, restauro, pesquisa, ensino e atendimento à pesquisadores da área.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Felipe Rodrigo Vivallo Martinez
Endereço: Departamento de Entomologia, Museu Nacional
Tel: (21)3938-1115
E-Mail: fvivallo@yahoo.com
Home: Não Informado
Atividade: Atividades de pesquisa, ensino e extensão sobre insetos da Ordem Hymenoptera, principalmente abelhas e vespas das regiões Neotropical e Andina. O trabalho desenvolvido no Laboratório está focado principalmente em estudos sobre sistemática e bionomia, tais como comportamento reprodutivo e de nidificação, morfologia funcional e interações com plantas com flores. Referente a estas linhas de pesquisa são ministradas as seguintes disciplinas "Entomologia Sistemática - Hymenopterologia", "Comportamento Reprodutivo de Insetos" e "Polinização Entomófila".
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Marcelo Ribeiro de Britto
Paulo Andreas Buckup
Cristiano Luis Rangel Moreira
Endereço: Departamento de Vertebrados
Tel: (21)3938-1197
E-Mail: buckup@acd.ufrj.br
Home: www.museunacional.ufrj.br
Atividade: Pesquisa em taxonomia, biogeografia, evolução de peixes, incluindo estudos sobre filogenia, filogeografia e diversidade genômica de peixes.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Aparecida Maria Neiva Vilaca
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Palácio
Tel: (21)2568-9642
E-Mail: Não Informado
Home: http://www.ppgasmn-ufrj.com/lina.html
Atividade: O LINA reúne pesquisadores que se dedicam ao estudo das transformações vivenciadas por grupos indígenas da América do Sul, em especial aquelas relacionadas com sua experimentação do "mundo dos brancos". Nossas discussões estão calcadas em pesquisas de campo de longa duração entre cerca de 14 povos indígenas localizados em diferentes regiões do nosso país. Atualmente, trabalhamos em um projeto de pesquisa aprovado pela FAPERJ intitulado "Transformações e Traduções na Amazônia Indígena: Cristianismo, Escola, Projetos e Política" e procuramos divulgar os resultados dessas pesquisas organizando seminários de periodicidade anual.
Unidade: Coordenação dos Programas de Pós-Graduação de Engenharia
Escola Politécnica
Museu Nacional
Coordenador: Ricardo Tadeu Lopes
Endereço: Centro de Tecnologia - Bloco I - sala 133 - Cidade Universitária
Tel: (21)3938-7311
E-Mail: rlopes@coppe.ufrj.br
Home: www.lin.ufrj.br
Atividade: - ENSINO: nas atividades de interação da radiação com a matéria, detecção de radiações ionizantes, radiografia convencional e digital, microtomografia por transmissão de raios X, processamento de imagens, técnicas de radiação analiticas. - PESQUISA: desenvolvimento de técnicas analíticas e de imagens na caracterização de materiais e equipamentos. - CONSULTORIAS E SERVIÇOS: Nas áreas de espectrometria das radiações, radiografia digital, microtomografia de raios X, certificação de equipamentos de radiologia digital, proteção radiológica.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Quinta da Boa Vista - Museu Nacional - Departamento de Geologia e Paleontologia
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: avila@mn.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: Confecção de lâminas petrográficas de rochas e minerais para estudo em microscópio de luz transmitida e reflectida. Preparação de rochas para estudo geoquímico e em MEV-EDS.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Alcimar do Lago Carvalho
Endereço: Horto Botânico do Museu Nacional - Quinta da Boa Vista / Departamento de Entomologia (em atividade no Departamento de Vertebrados)
Tel: (21) 2225-5774
E-Mail: alagoc@acd.ufrj.br
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/labiosis/LABIOSIS.thml
Atividade: Taxonomia, morfologia, biologia e filogenia de adultos e imaturos de libélulas (Insecta: Odonata) da América do Sul. Atua conjuntamente na área de Entomologia Cultural, em especial na análise de representações de insetos em manifestações artísticas, e História da Entomologia.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Pedro Guilherme Barrios de Souza Dias
Endereço: Departamento de Entomologia, Museu Nacional
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: pedrosouzadias@mn.ufrj.br
Home: www.orthopteramnrj.com
Atividade: O Laboratório de Orthoptera inicia-se com o ingresso do professor Dr. Pedro G.B. Souza Dias no Departamento de Entomologia do Museu Nacional – Universidade Federal do Rio de Janeiro. A principal linha de pesquisa do laboratório é taxonomia e sistemática de Orthoptera, com ênfase em Grylloidea. Paralelamente, o laboratório dedica-se a outras linhas de investigação: biologia, evolução e morfologia de Orthoptera, com ênfase em Grylloidea; morfologia do complexo fálico de Grylloidea; e diversidade de Orthoptera e ordens relacionadas, como Mantodea e Phasmatodea. Atualmente nossas principais atividades envolvem estudos focados na diversidade e taxonomia de Orthoptera, sobretudo no estado do Rio de Janeiro. Estes estudos, além de ampliarem o nosso conhecimento sobre a biodiversidade da Mata Atlântica fluminense, também permitem a coleta de espécimes para recompor o acervo da Coleção de Orthoptera. Além desta coleção, o Laboratório de Orthoptera é responsável pelas coleções de outras ordens relacionadas, como Mantodea, Phasmatodea, Embioptera, Dermaptera e Zoraptera. O Laboratório também dedica-se ao ensino, atuando sobretudo no Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Zoologia) do Museu Nacional/UFRJ (PPGZoo), à extensão e divulgação científica e à pesquisa, buscando contribuir com o conhecimento da diversidade de ortópteros no Brasil.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Marcelo de Araujo Carvalho
Endereço: Departamento de Geologia e Paleontologia
Tel: (21)3938-1172
E-Mail: mcarvalho@mn.ufrj.br
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/dgp/setor_BOT.html
Atividade: O Laboratório de Paleoecologia Vegetal (LAPAV) - O princípio que norteia a filosofia do Laboratório de Paleoecologia Vegetal é a multiplicação das análises, que garante a minimização dos efeitos de fatores ambientais aleatórios e assegura resultados mais confiáveis. Nossa meta é a integração das diversas áreas de estudo desenvolvidas em estudos multi-proxy com base em um arcabouço metodológico padronizado, possibilitando sua aplicação a diferentes contextos. Nestas pesquisas, o registro fóssil é utilizado para inferir as relações de longo termo entre dinâmica da vegetação, mudanças climáticas e atividade humana. A reconstrução paleoambiental em estudos referentes a diversos períodos geológicos considera tanto os parâmetros biofísicos e climáticos como, em períodos mais recentes, a influência antrópica. Os projetos atualmente desenvolvidos no laboratório investigam a história geológica da Terra em diversas escalas de tempo, desde o Quaternário recente (escala secular a milenar) até períodos recuados de milhões de anos.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Antonio Carlos Sequeira Fernandes
Sandro Marcelo Scheffler
Endereço: Quinta da Boa Vista - Museu Nacional - Dep. Geologia e Paleontologia
Tel: (21)3938-1177
E-Mail: schefflersm@mn.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: Taxonomia, paleobiogeografia, tafonomia, estratigrafia de macroinvertebrados do Fanerozóico da América do Sul e Antártica, com foco principal no Devoniano e Cretáceo.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Claudia Barbieri Ferreira Mendonça
Vania Gonçalves Lourenço Esteves
Endereço: Departamento de Botânica - Museu Nacional
Tel: (21)2562-6955
E-Mail: esteves.vr@gmail.com
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/dptbot/
Atividade: Pesquisas em Palinologia com aplicação em Palinotaxonomia, Melissopalinologia, Palinologia Ecológica, Aeropalinologia. Formação de recursos humanos, incluindo pesquisas com alunos de graduação O Laboratório possui uma Palinoteca com aproximadamente 5.000 especimes catalogados. 1. Pesquisa; 2. oferecimento de disciplinas no Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas (Botânica) do Museu Nacional, do Programa de Pó-sgraduação em Biologia vegetal da UERJ e para alunos de graduação do Curso de Ciências Biológicas do CCS/UFRJ e de outras instituições públicas e privadas; 3. orientação de alunos de ICJr (Jovens Talentos), IC, Mestrado, Doutorado e Pós-Doc. 4. Colabora em projetos de extensão.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Paulo Andreas Buckup
Marcelo Weksler
Endereço: Departamento de Vertebrados, Museu Nacional
Tel: (21)2562-6997
E-Mail: buckup@acd.ufrj.br
Home: www.museunacional.ufrj.br
Atividade: Extração e amplificação de DNA. Geração de DNA Barcodes, dados filogeográficos e filogenômicos
RES. CEPG 08/2019
Termociclador ABI Veriti
RES. CSCE 06/2021
Termociclador ABI Veriti
Unidade: Museu Nacional
Faculdade de Administração e Ciências Contábeis
Coordenador: Maria José Veloso da Costa Santos
Endereço: Seção de Memória e Arquivo do Museu Nacional/UFRJ
Tel: +552139385216
E-Mail: msantos1402@facc.ufrj.br
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/index.html
Atividade: Pesquisas sobre o Museu Nacional e sua atuação no cenário da Ciência desde o século XIX.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Joao Pacheco de Oliveira Filho
Antonio Carlos de Souza Lima
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Palácio
Tel: (21)2568-9642
E-Mail: Não Informado
Home: http://www.laced.etc.br
Atividade: O LACED é um laboratório interdisciplinar de pesquisas e intervenção que reúne pesquisadores trabalhando em contextos urbanos e rurais, junto a grupos sociais e dispositivos de Estado variados – desde povos indígenas e populações ribeirinhas, grupos étnicos de origem imigrante e quilombolas, até as políticas públicas e reflexões intelectuais a eles referidas – enfatizando o papel político-cultural das construções de identidade e as relações sociais que as sustentam. Localizado no Setor de Etnologia e Etnografia do Departamento de Antropologia do Museu Nacional/UFRJ, o LACED tem sua área de ação circunscrita ao território nacional e também – dada a natureza das suas atividades – aos países do estrangeiro, para efeito de admissão dos membros e realização de suas atividades e projetos. Além disso, o Laced tem trabalhado em colaboração com diversas instituições como o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), o Programa Demonstrativo dos Povos Indígenas (PDPI), o Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos (CLAM) e o Memorial Iyá Davina . Objetivos Desenvolver pesquisas e projetos de intervenção social, em solo nacional ou estrangeiro, com base nas diversas ciências sociais e históricas, e nas suas interfaces com as ciências tecnológicas e da natureza, com ênfase na contribuição da Antropologia Social para a produção de conhecimento, aplicado ou não, nos temas relativos aos fenômenos étnicos, culturais e ao desenvolvimento, em suas dimensões social, econômica e política. Além disto, prevê ainda a formação e treinamento de profissionais nas áreas de sua atuação, através de cursos de escopo e duração variados, encarregando-se também da produção de material acadêmico, didático e de divulgação, relativos às análises de fenômenos sociais em que estiver envolvido. Pretende também desenvolver atividades de tratamento, disponibilização e divulgação de acervos documentais em distintos suportes e meios. A página do LACED no Diretório Nacional de Grupos de Pesquisa do CNPq com a integralidade de seus participantes está disponível em http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/17501.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Joao Pacheco de Oliveira Filho
Endereço: Museu Nacional/UFRJ
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: jpo.antropologia@mn.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: 1. Apresentação O Laboratório de Pesquisas em Etnografia Participativa e Museologia Dialógica (ETNOMUSEU) é um laboratório de pesquisa, extensão e ensino constituído, entre outros, por integrantes do Setor de Etnologia e Etnografia (SEE) do Museu Nacional/UFRJ, pretendendo articular uma rede de pesquisadores, professores, lideranças comunitárias e produtores de bens culturais envolvidos na construção de um espaço autônomo e experimental de Etnografia Participativa e Museologia Dialógica. Este Laboratório foi concebido e desenvolvido a partir do projeto Etnomuseu: Laboratório de Pesquisa em Etnografia Participativa e Museologia Dialógica, apresentado ao Edital número 28/2021, da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado Rio de Janeiro (FAPERJ), e aprovado em dezembro de 2021 com duração de 4 anos. Ora está sendo proposto junto ao Departamento de Antropologia do Museu Nacional/UFRJ, bem como submetido à Pró-reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PR2) da UFRJ. O Laboratório ETNOMUSEU se propõe à troca e à produção coletiva de conhecimentos sobre memória e história dos povos indígenas, de coletivos afro-brasileiros e de populações marginalizadas, sendo uma iniciativa resultando sobretudo de desafios enfrentados no contexto pós-incêndio do Museu Nacional (2018). 2. Justificativa A criação de um Laboratório de pesquisas sobre etnografia participativa e museologia dialógica representa a reafirmação do compromisso e envolvimento do Setor de Etnologia e Etnografia do Museu Nacional (SEE/MN) com as comunidades de origem das coleções etnográficas, manifestado claramente em oficina com representantes dos povos indígenas desde a 32ª. Reunião Brasileira de Antropologia/RBA, em outubro/novembro de 2020, e reafirmada em oficinas consecutivas e em encontros com estudiosos da temática e representantes de museus no Brasil e no exterior. Alguns projetos inovadores desenvolvidos em décadas anteriores com comunidades indígenas e afro-brasileiras devem ser lembrados, uma vez que foram inspiradores desta iniciativa. Desde a década de 1980, o SEE/MN tem estimulado o protagonismo cultural dos povos indígenas, como sucedeu na criação de centros de memória, como foi o caso do Centro de Documentação e Pesquisa do Alto Solimões: Magüta (1985) e do Museu Magüta (1991), primeiro museu indígena do Brasil, ambos referidos ao povo Tikuna. A coleta de peças etnográficas deve estar associada com políticas de memória e estratégias culturais das comunidades locais. O antropólogo João Pacheco de Oliveira foi um de seus fundadores, diversos líderes, professores e estudantes visitaram a reserva técnica do SEE e desenvolveram pesquisas. O historiador Crenivaldo Veloso também fez assessoria a atividades do Museu Maguta. Outra iniciativa pioneira, foi a Coleção Documentos Sonoros, desenvolvida no SEE/MN com a colaboração dos antropólogos Gustavo Pacheco e Edmundo Pereira. Esta série foi iniciada em 2004, com o CD Ile omolu Oxum. Cantigas e toques para os Orixás, em parceria com o Memorial Iyá Davina, do Rio de Janeiro (RJ). Em 2009 foi lançado o CD Magüta arü wiyaegü, reunindo cantos do povo Tikuna, em parceria com o Conselho Geral da Tribo Tikuna e com o próprio Museu Magüta. A exposição Os Primeiros Brasileiros, com concepção e curadoria do antropólogo João Pacheco de Oliveira, foi desenvolvida em parceria do Museu Nacional/UFRJ com a Fundação Joaquim Nabuco (Pernambuco) e a APOINME/Articulação dos Povos de Comunidades Indígenas do Nordeste, Espírito Santo e Minas Gerais. Contou com a extensa participação de lideranças e promoveu conferências e workshops com os indígenas. Com fotografias, músicas, painéis, filmes e objetos que expressam a rica cultura produzida por dezenas de povos indígenas que vivem na região Nordeste, a exposição apresenta ao visitante estas coletividades como protagonistas de sua história, articulando intimamente as suas formas culturais com as suas lutas atuais por direitos e reconhecimento. Após 13 itinerâncias no Brasil e uma no exterior, em 2021, durante a pandemia a mostra ,transformou-se em exposição virtual, a primeira sediada no site do Museu Nacional https://osprimeirosbrasileiros.mn.ufrj.br/ Em 2011, um grupo de ceramistas e líderes do povo iNY-Karajá, trazidos pelo antropólogo Manuel Ferreira Filho (UFG), visitou o Museu Nacional e fez pesquisa na reserva técnica da etnografia. No ano seguinte foi organizada pelo SEE a exposição Os Karajás - Plumária e Etnografia, que continuou em exibição até o incêndio do prédio em 2018 e segue parcialmente disponível na internet https://museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/etnologia/karajas.html. A Exposição “Kumbukumbu: África, memória e patrimônio”, do Museu Nacional, foi organizada em 2014 pela equipe do Setor de Etnologia e Etnografia (SEE), em especial por Michele Barcelos e Rachel Correa Lima, com a curadoria de Mariza Soares, apoiando-se no valioso acervo de objetos africanos e afro-brasileiros do Museu Nacional, visando a divulgação da história do continente africano, de sua diversidade cultural e das conexões entre a África e o Brasil (vide https://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/etnologia/kumbukumbu.html . O Projeto Reestruturação do Setor de Etnologia e Etnografia do Museu Nacional/UFRJ, começou a ser gestado nos primeiros meses após o incêndio de 2 de setembro de 2018 e implementado no início de 2019. As atividades do SEE têm se voltado para a reestruturação de sua base de trabalho, para a formação de novas coleções físicas e para a organização de um repositório digital de coleções etnológicas, tendo por base o desenvolvimento de pesquisas e de parcerias com as comunidades de origem dos materiais colecionados. Apoiado nessas experiências o Laboratório ETNOMUSEU visa consolidar o desenvolvimento de uma metodologia inclusiva e participativa com as comunidades e aprofundar as estratégias de descolonização do acervo etnológico dos museus e patrimônios culturais, estabelecendo um espaço de diálogo para preservação da memória dos povos indígenas. Tal Empreendimento se revela estratégico para a formação e organização de futuras coleções, propondo-se em especial a revisar as práticas de colecionamento, guarda e exibição no Museu Nacional, com base em novos parâmetros. Trata-se de estabelecer, pela pesquisa e interlocução com as comunidades de origem, um conhecimento compartilhado e polifônico, acessível às populações ali representadas, fornecendo ao grande público informações científicas qualificadas e que possam contribuir para o aperfeiçoamento das instituições democráticas. Assumir que as coleções etnográficas devam ser o resultado de relações éticas e simétricas com as comunidades de origem, fruto de uma rel9=açã0o dialógica e de uma pesquisa etnográfica participativa, implica na revisão crítica dos protocolos e procedimentos associados em geral às práticas de colecionamento e de gestão de acervos e coleções na maioria dos museus ora existentes. 3. Objetivos O Laboratório ETNOMUSEU tem por objetivo a reunião e a articulação entre diversos agentes e agências envolvidos nos trabalhos de pesquisa relacionados às novas práticas de colecionamento. O seu eixo temático é a reflexão sobre processos de formação e gestão compartilhada de coleções etnográficas e os diversos saberes a eles associados, relacionados a povos, comunidades e coletividades nacionais – indígenas, afrodescendentes, artesãos e artistas populares. Este laboratório pretende aprofundar o debate visando à construção de uma antropologia de orientação pública, que contribua para melhor distribuição dos conhecimentos acadêmicos e, assim, para a democratização da ciência. Pretende consolidar e promover o debate diverso, coletivo e polifônico, comprometido em refletir historicamente sobre as transformações sociais e culturais que envolvam populações subalternizadas, estimulando ações e atividades que possibilitem essa troca, como cursos, oficinas, projetos em colaboração com as comunidades de origem, assim como projetos interinstitucionais e interdisciplinares. Estes seriam os pilares para as pesquisas que vierem a ser desenvolvidas por este Laboratório e em outros grupos de pesquisa e iniciativas a ele associadas, de forma a valorizar o protagonismo cultural das comunidades de origem e aprofundar as estratégias de descolonização de acervos etnográficos. Como um espaço físico e virtual, o ETNO MUSEU visa desenvolver as seguintes atividades: pesquisas sobre os processos de formação e gestão de coleções etnográficas; cursos de extensão e oficinas; conferências e seminários de pesquisa; mostras e exposições; pesquisas sobre coleções etnográficas brasileiras em museus estrangeiros; produção de materiais didáticos pela rede escolar; publicações para divulgação científica; desenvolver atividades de extensão. A sua especificidade é de buscar articular interesses acadêmicos e demandas da sociedade, dos movimentos sociais e das instituições voltadas para a consecução de políticas concernentes aos direitos humanos, a promoção da cultura e a valorização da diversidade social. Em paralelo, o Laboratório pretende contribuir para o intercâmbio entre pesquisadores brasileiros e estrangeiros com relação às modalidades de colecionamento e curadorias compartilhadas, visando a democratização da ciência e dos conhecimentos acadêmicos. 4. Metodologia A estruturação do Laboratório ETNOMUSEU se dará a partir de parcerias e diálogos estabelecidos no processo de reconstrução das coleções etnográficas do Museu Nacional, com a continuidade de parcerias anteriores e o estabelecimento de novas parcerias para realização de pesquisas, a partir do que se pretende ampliar o atendimento e a orientação aos pesquisadores e às comunidades, relacionados à formação das novas coleções. O fortalecimento de redes de pesquisadores e museus indígenas e comunitários com o SEE deverá estimular a interatividade, o apoio à participação e ao diálogo com as comunidades de origem, seja nas atividades de pesquisa, bem como em outras atividades a serem realizadas, como cursos, oficinas, eventos, exposições e publicações. Além das redes indígenas e comunitárias, também estão sendo feitas articulações com museus internacionais visando o desenvolvimento de pesquisas do acervo de povos indígenas que estão fora do país, de forma a dar acesso a estas informações por meio de sua disponibilização pública. A interdisciplinaridade será sua marca, ao articular pesquisas realizadas em diferentes campos, desde a antropologia social, etnologia, história, arte e divulgando por meio de oficinas, cursos, exposições e publicações físicas e em formato digital. Nosso objetivo não se limita a uma reconstituição material do acervo, mas apostamos nas pesquisas como forma de atuarmos como “tradutores históricos e culturais”, sintonizados com as memórias e criações culturais vivas. Com o Laboratório ETNOMUSEU esperamos também avançar nas parcerias com profissionais da educação básica das redes públicas do estado do Rio de Janeiro, promovendo oficinas e cursos de extensão e produzindo materiais de apoio didático voltados a estes profissionais, em especial, os docentes, atendendo as finalidades da Lei 11.645/2008 sobre o ensino de temas relativos às culturas indígenas e afrodescendentes. 5. Resultados Esperados Esperamos que a criação do Laboratório de Pesquisas em Etnografia Participativa e Museologia Dialógica (ETNOMUSEU) represente um instrumento de articulação da comunidade acadêmica e científica do SEE e do MN/UFRJ com outras instituições, museus e centros de pesquisa de diferentes comunidades de origem. Esperamos que o ETNOMUSEU contribua para a participação direta destas comunidades na produção de conhecimento da instituição, por meio da adoção de metodologias voltadas à produção coletiva ou ao compartilhamento de conhecimento científico. Esperamos ainda que a criação do ETNOMUSEU promova a ampliação da atuação do Setor de Etnologia e Etnografia, a partir das parcerias estabelecidas com as outras instituições indígenas, comunitárias, universitárias, museus, nacional e internacionalmente. 6. Equipe Os pesquisadores associados ao Laboratório ETNOMUSEU fazem parte do quadro social da UFRJ (docentes, técnico-administrativos e discentes de Programas de Pós-Graduação), assim como de outras instituições de pesquisa e ensino localizadas no Rio de Janeiro (UFRJ, UERJ, UNIRIO, UFF e UFRRJ) e em outras unidades da federação. Um aspecto a destacar é a participação de pesquisadores indígenas, afrodescendentes e de outras comunidades. Considerando que o laboratório reunirá comunidades de todo o Brasil, pretende-se articular acordos de cooperação acadêmico-científica com instituições de pesquisa e ensino de outras unidades da Federação (fora do RJ), no sentido de garantir a atuação protagonista de lideranças, professores, artistas e pesquisadores indígenas e comunitárias de todo o país, valorizando a diversidade étnica e cultural como princípio de construção da nação.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Thamara Zacca Bispo Taumaturgo
Endereço: Departamento de Entomologia - Museu Nacional
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: Não Informado
Home: Não Informado
Atividade: Atividades de pesquisa relacionadas a taxonomia, inventários faunísticos, filogenia e morfologia comparada de lepidópteros, com ênfase em espécies da Região Neotropical. Adicionalmente, são desenvolvidas atividades de curadoria de coleção biológica (Lepidoptera), cursos de capacitação, ensino e divulgação científica.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Quinta da Boa Vista - Museu Nacional - Departamento de Geologia e Paleontologia
Tel: (21)3938-1173
E-Mail: avila@mn.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: Estudo de caracterização de minerais pesados por estereomicroscópio para estudo de proveniência e de prospecção aluvionar. Estudo de caracterização de minerais e rochas em microscopia ótica de luz transmitida e reflectida para caracterização dos processos ígneos, metamórficos, sedimentares e hidrotermais presentes. Estudo voltado para a cartografia básica de rochas ígneas, metamórficas e sedimentares. Interpretação de dados geoquímicos e geocronológicos oriundos dos trabalhos de cartografia geológica.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Museu Nacional, Departamento de Botânica, Quinta da Boa Vista s.n.
Tel: (21)2562-6950
E-Mail: cpbove@hotmail.com
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/laplaq/
Atividade: O LAPLAQ atua exclusivamente dedicado ao conhecimento da flora aquática, à popularização deste conhecimento e a conscientização ambiental voltada, especificamente aos ecossistemas aquáticos. Nosso grupo assessora instituições de pesquisa, órgãos de fomento, empresas, órgãos federais, estaduais e municipais no que tange a plantas e ecossistemas aquáticos.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Departamento de Geologia e Paleontologia, Museu Nacional, Parque Quinta da Boa Vista, s/n., São Cristóvão, Rio de Janeiro
Tel: (21)0000-0000
E-Mail: lucbc@acd.ufrj.br; helder@acd.ufrj.br; bsm@mn.ufrj.br; priscila@mn.ufrj.br
Home: http://www.museunacional.ufrj.br/dgp/setor_VER.html
Atividade: Preparação mecânica de vertebrados fósseis. Preparação química de vertebrados fósseis.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Sergio Alex Kugland de Azevedo
Jorge Roberto Lopes dos Santos
Endereço: Quinta da Boa Vista - Museu Nacional - Departamento de Geologia e Paleontologia
Tel: (21)3938-1250
E-Mail: sazevedo@acd.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: Desenvolvimento e aplicação de metodologias tridimensionais avançadas tais como digitalização tridimensional, modelagem tridimensional, tomografia computadorizada e prototipagem física para apoio de pesquisas em paleontologia de vertebrados, egiptologia e diversos outros campos de pesquisa em desenvolvimento no Museu Nacional. Aplicação dos resultados em pesquisa científica, desenvolvimento de programas de iniciação cientifica, mestrado e doutorado, além de apoio a exposições.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Gabriel Luis Figueira Mejdalani
Endereço: Departamento de Entomologia, Museu Nacional
Tel: 21999777703
E-Mail: mejdalan@acd.ufrj.br
Home: https://entomologiamn.com/
Atividade: Morfologia, biologia, taxonomia e filogenia de insetos, estudando principalmente a diversidade dos Cicadellidae (ordem Hemiptera) na Região Neotropical.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Quinta da Boa Vista - Museu Nacional - Departamento de Geologia e Paleontologia
Tel: (21)3938-1125
E-Mail: lapugmn@gmail.com
Home: Não Informado
Atividade: Não Informado
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Setor de Mastozoologia, Departamento de Vertebrados, Museu Nacional
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: jaoliv@mn.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: Não Informado
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Eduardo Carlos Meduna Hajdu
Endereço: Museu Nacional - Departamento de Invertebrados, Quinta da Boa Vista, s/n, 20940-040, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Tel: (21)3938-1191
E-Mail: eduardo.hajdu@gmail.com
Home: https://taxpo.com.br
Atividade: A equipe TAXPO trabalha preponderantemente com taxonomia, realizada de forma cada vez mais integrativa, e sob um prisma multidisciplinar com foco em biodescoberta (biodiversidade, biogeografia, bioprospecção). As atividades de rotina envolvem coleta de novos materiais, tombamento em coleção de história natural, o gerenciamento desta coleção, a identificação de amostras (confecção de preparações para microscopia óptica e eletrônica de varredura, de espículas dissociadas e cortes espessos), a descrição de novos registros e novas espécies, e sua publicação em periódicos científicos especializados. Adicionalmente, damos suporte à exposição de invertebrados do Museu Nacional, com a cessão de materiais e a preparação e revisão de conteúdos.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Palácio do Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - 3º andar
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: ruyvalka@mn.ufrj.br
Home: www.acd.ufrj.br/~mndb
Atividade: Não Informado
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Departamento de Antropologia
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: claudia@mn.ufrj.br
Home: www.antropologiabiologica.mn.ufrj.br
Atividade: Não Informado
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Clovis Barreira e Castro
Debora de Oliveira Pires
Endereço: Museu Nacional - Horto Botânico - Quinta da Boa Vista
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: clovis.castro@mn.ufrj.br; debora.pires@coralvivo.org.br
Home: Não Informado
Atividade: Projeto Coral Vivo. Conservação de ambientes coralíneos. Estudos sobre cnidários, especialmente antozoários: morfologia, sistemática e taxonomia; distribuição geográfica e biogeografia. Distribuição e padrões de zonação de comunidades bentônicas de substrato duro. Taxonomia de Cnidaria, Anthozoa, com enfoque nos Hexacorallia. Biologia e ecologia de recifes de coral. Reprodução de corais.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Quinta da Boa Vista - Museu Nacional
Tel: (21)3938-1183
E-Mail: ventura@acd.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: Estudo da evolução dos aspectos reprodutivos de Echinodermata. Taxonomia, biogeografia, ontogenia e dinâmica de populações de Echinodermata.
Unidade: Museu Nacional
Instituto de Geociências
Observatório do Valongo
Coordenador: Maria Elizabeth Zucolotto
Diana Paula de Pinho Andrade
Endereço: Quinta da Boa Vista - Museu Nacional - Departamento de Geologia e Paleontologia
Tel: (21)3938-1175
E-Mail: meteoritos@mn.ufrj.br
Home: http://www.meteoritos.com.br
Atividade: Os meteoritos são as amostras extraterrestres mais disponíveis para a pesquisa. Alguns tipos de meteoritos primitivos chamados condritos são remanescentes da nebulosa solar e não experimentaram quase nenhuma alteração desde a sua formação. Ao estudar as composições de tais condritos, obtemos informações que podem ser usadas para modelar a nebulosa solar. Estudamos estes e outros meteoritos por microssonda eletrônica para estudar suas composições. As atividades desenvolvidas no Laboratório Extraterrestre (LABET) são basicamente de identificação de material extraterrestre, em geral atraves de um canal direto com a população a caracterização deste material conta com a colaboração de outros laboratórios parceiros que possuam equipamentos disponíveis. Dentre as principais atividades: (1) a caracterização de meteoritos condríticos e a interpretação dos resultados em termos de formação na nebulosa solar a distâncias específicas do Sol; (2) a caracterização de meteoritos de metálicos e a interpretação dos resultados em termos de vários modelos planetários (3) as relações dos meteoritos com asteróides conhecidos
Unidade: Instituto de Geociências
Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: DGP (Departamento de Geologia e Paleontologia)
Tel: (21)2562-6975
E-Mail: mezucolotto@globo.com
Home: http://www.meteoritos.museunacional.ufrj.br/
Atividade: Tem como finalidade estudar material extraterrestre principalmente novos meteoritos. Atua extensivamente na identificação de material coletado e enviado pela população como possíveis meteoritos. O LabET realiza os exames preliminares na preparação de amostras petrográficas e metalográficas e exames ao Microscópio Petrográfico. Os demais exames complementares são realizados em parceria com outros laboratórios como a LABSONDA do IGEO/UFRJ e o Laboratório Multiusuário de Caracterização Tecnológica (LMCT) do CETEM (Centro de Tecnologia Mineral).
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Maria Franco Trindade Medeiros
Endereço: Departamento de Botânica, Museu Nacional/ Universidade Federal do Rio de Janeiro, Horto Botânico, Quinta da Boa Vista, s/n, São Cristóvão, 20940-040, Rio de Janeiro - RJ, Brasil
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: line_etnobotanica@mn.ufrj.br / mariaftm@mn.ufrj.br
Home: @line_museunacional_ufrj
Atividade: Desenvolvimento de pesquisas voltadas aos conhecimentos e práticas de comunidades locais acerca da flora e da paisagem, considerando a escala temporal de atuação destes agrupamentos humanos em seu ambiente vivencial. Estes estudos promovem a integração de pressupostos teóricos e metodológicos voltados à botânica, antropologia, história, museologia e ecologia, como base estruturante dos aprofundamentos a que se propõem.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Não Informado
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: Não Informado
Home: Não Informado
Atividade: Desenvolvimento de pesquisas historiográficas no campo da História das Ciências e patrimônio cultural
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Marcos Otavio Bezerra
Endereço: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social - Museu Nacional
Tel: (00)0000-0000
E-Mail: nuap.ufrj@gmail.com
Home: nuap.etc.br
Atividade: O Núcleo de Antropologia da Política (NuAP), fundado em 1997, tem sua sede no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social/Museu Nacional, e reúne pesquisadores de várias instituições. Seu objetivo é examinar a política vivida, dando ênfase à etnografia e, portanto, aos aspectos do tecido social em sua totalidade. Esta perspectiva resultou de uma implosão etnográfica das categorias do senso comum, inclusive acadêmico, que distingue domínios estanques como parentesco, família, política, religião, território, justiça, burocracia. A publicação de 33 livros (ver no site do Nuap para download) tornou clara a percepção de que a própria “política” era uma categoria sempre sob escrutínio, mesmo quando explicitamente definida para pesquisa e análise. Tal orientação pautou uma multiplicidade de estudos sobre os mais variados temas, incluindo pesquisas sobre eleições, comícios, marchas e movimentos sociais, festas da política, violência e crimes por encomenda, direitos, perda de mandato de congressistas, políticas públicas, monografias sobre a vida em pequenos municípios e cidades periféricas, documentos e identificação cívica – a maioria resultado da análise de eventos, situações específicas, dramas, rituais, casos críticos. Este resultado da opção etnográfica do projeto em torno do qual originalmente se articulou o NuAP tem permitido revitalizar a perspectiva teórica primeira e básica da antropologia – a de que a procura da alteridade reposiciona, quando não implode, as categorias classificatórias paralisantes a que aderimos no mundo ocidental, produzindo mais dúvidas e originando novos e ricos questionamentos.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Palácio
Tel: (21)2568-9642
E-Mail: Não Informado
Home: http://www.ppgasmn-ufrj.com/nuap.html
Atividade: Não Informado
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Palácio
Tel: (21)2568-9642
E-Mail: Não Informado
Home: https://nuatebt.wordpress.com
Atividade: Não Informado
Unidade: Museu Nacional
Instituto de Filosofia e Ciências Sociais
Coordenador: Eduardo Batalha Viveiros de Castro
Marcio Goldman
Edgar Rodrigues Barbosa Neto
Clara Mariani Flaksman
Endereço: PPGAS (Museu Nacional) e Departamento de Antropologia Cultural (IFCS)
Tel: (21)998895748
E-Mail: marcio.goldman@gmail.com
Home: http://lattes.cnpq.br/web/dgp
Atividade: O Laboratório de Antropologia Simétrica pretende, desenvolver, articular e implementar concretamente as consequências de alguns movimentos intelectuais que sacudiram a antropologia sem, entretanto, terem se refletido no ensino ou nas formas de organização da disciplina Uma dessas transformações foi o aprofundamento da crítica dos "grandes divisores", que fundaram a antropologia e, ao mesmo tempo, representam um dos principais obstáculos por ela enfrentado. O Laboratório coordena pesquisas, organiza palestras, seminários e cursos orientados nessas direções.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Luiz Fernando Dias Duarte
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Palácio
Tel: (21)2554-6198
E-Mail: lfdduarte@uol.com.br
Home: http://www.ppgasmn-ufrj.com/nescom.html
Atividade: Duarte atualização laboratórios UFRJ NEsCom Pesquisas na área da Antropologia das Sociedades Complexas, incluindo ensino pós-graduado e orientação de dissertações e teses. O núcleo congrega pesquisas a respeito dos processos de construção e transformação dos sujeitos sociais nas sociedades complexas, sobretudo na brasileira. Busca analisar as condições de mudança, diferenciação, especialização, heterogeneidade e pluralismo que as caracterizam, com vistas à discussão das questões antropológicas gerais, que concernem tanto as sociedades ‘tradicionais’ como as ‘modernas’. Foca-se nas tramas específicas da família, da religião, da política, da arte, da ciência, da sexualidade, da violência, do patrimônio, das políticas culturais e dos estilos de vida metropolitanos, como recursos de compreensão da dinâmica social abrangente. Duarte mantem um projeto sobre “Romantismo e naturalismo na cultura ocidental moderna: a ‘vida’ como noção de senso comum, conceito científico e categoria filosófica” (CNPq) e outro, mais específico, sobre "A ‘vida’ como noção de senso comum, conceito científico e categoria filosófica nas coleções oitocentistas da Biblioteca do Museu Nacional / UFRJ" (Faperj). Vianna mantem dois projetos, sobre "Fazer vida: gênero, afeto e política no cotidiano da necrogovernança" (CNPq) e sobre "Redes familiares, afetos e produção de vida em regimes de morte e encarceramento no Rio de Janeiro contemporâneo" (Faperj). Díaz-Benítez mantem um projeto sobre "Humilhação e excesso. Caminhos de análise para uma antropologia da diferença e da desigualdade social em relação a raça, gênero e sexualidade" (Faperj). Facina mantem um projeto sobre "Sobreviver e sonhar: trajetórias de artistas em experiências de sobrevivência". Menezes mantem dois projetos, sobre "Diante das cinzas do Museu Nacional: resgate patrimonial e reconstrução de coleções da antropologia social" (Faperj) e "Comida étnica, fluxos transnacionais e performances de identidade" (CNPq). Facina e Menezes mantêm também projetos de extensão universitária.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Adriana de Resende Barreto Vianna
Luiz Fernando Dias Duarte
Maria Elvira Diaz Benitez
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Horto Botânico
Tel: (21)2568-9642
E-Mail: mariaelviradiaz@mn.ufrj.br
Home: http://www.ppgasmn-ufrj.com/nusex.html
Atividade: Para o Nusex, gênero e sexualidade reresentam categorias de análise que dizem a respeito de diferenças sociais e que podem ser interpretadas em termos de identidade, organização social, sociabilidade, subjetividade, hierarquia, experiência e modos de existir. Desde sua conformação, o Nusex carrega a marca da categoria dissidência devido à fertilidade dessa noção nos estudos e políticas queer e por remeter a uma agenda de pesquisa bastante específica desde a qual é produtivo indagar sobre experiências que no território do sexo/gênero estariam operando nas fronteiras das eróticas normativas e sobre as configurações de corpos ininteligíveis que, por tal, constituiriam expressões, desejos, prazeres e práticas perturbadoras. Como se constituem? Como são vivenciadas? Anunciam novas categorias sexuais e identitárias? Como se reorganizam normatividades e hierarquias em meio a apelos transgressores?  Nesse percurso, estamos movidos por um ímpeto político, teórico e metodológico claro: contribuir para uma teoria radical do sexo, contribuindo na criação de um pensamento liberador sobre o sexo. Para tal teoria, diz Gayle Rubin, faz-se preciso “identificar, descrever, explicar e denunciar a injustiça erótica e a opressão sexual”.  Contudo, a perspectiva do NuSEX ao redor dos modos de regulamentação de gênero, seguindo as premissas da agenda feminista, não manifesta preocupação apenas com as formas como os sujeitos resistem às regulamentações ou subvertem as normas, mas visa também indagar sobre as artes da vivência por entre normas, isto é, ou os modos pelos quais os sujeitos agem no interior das normas que os mesmos habitam, perspectiva amplamente inspirada em Saba Mahmood. Assim, se por um lado noções como abjeção e dissidência nos permitem ressaltar que existem regras, vidas, prazeres e relações nas margens do social, interessa-nos explorar também os modos como os sujeitos movimentam seus mundos dentro das normas e governos que os constituem. Somamos a nossa perspectiva a análise do gênero e da sexualidade sempre em interseção com outros marcadores sociais da diferença como raça, classe e geração (entre outros), visando examinar como essas características sociais se constroem mutuamente e articulam na conformação de diferenças, posições de sujeito e desigualdade ou privilégio social. Antropologia da Saúde, do Estado, das Emoções, dos Modos de Regulamentação Social, Urbana e das Relações Étnico-raciais dialogam e nutrem os olhares do NuSEX.
Unidade: Instituto de Filosofia e Ciências Sociais
Museu Nacional
Coordenador: Federico Guillermo Neiburg
Fermando Rabossi
Endereço: PPGAS, Museu Nacional e PPGSA, IFCS
Tel: (21)2568-9642
E-Mail: nucec.ufrj@gmail.com
Home: http://www.nucec.net
Atividade: Criado em 2004, o Núcleo de Pesquisas em Cultura e Economia (NuCEC) é um espaço de produção coletiva de conhecimento e formação de estudantes que reúne pesquisadores interessados na compreensão antropológica da vida sócio-econômica contemporânea. Sediado no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) do Museu Nacional e no Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA) do IFCS, ambos da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o Núcleo é integrado por cientistas sociais de diversas instituições do país e do exterior.
Unidade: Museu Nacional
Instituto de Filosofia e Ciências Sociais
Coordenador: Federico Guillermo Neiburg
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Palácio
Tel: (21)2568-9642
E-Mail: nucec.ufrj@gmail.com
Home: http://www.nucec.net
Atividade: Não Informado
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Museu Nacional - Quinta da Boa Vista - Palácio
Tel: (21)2568-9642
E-Mail: Não Informado
Home: http://nupeli-gela.weebly.com/
Atividade: Não Informado
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Não Informado
Endereço: Departamento de Vertebrados, MUseu NAcional, Quinda da Boa Vista, 20940-040
Tel: (21)2562-6996
E-Mail: colecaoherpetologiamn@gmail.com
Home: http://www.herpetologia-mn.com/
Atividade: Manutenção de coleções científicas.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Alexandre Dias Pimenta
Vinicius Padula Anderson
Endereço: Quinta da Boa Vista, Horto do Museu Nacional
Tel: 000000000
E-Mail: malacologia.mnrj@gmail.com
Home: http://museunacional.ufrj.br/malacologia/
Atividade: O Setor de Malacologia do Museu Nacional atua no sentido de conhecer a diversidade de moluscos no Brasil, efetuando levantamentos faunísticos, revisões taxonômicas e estudos de morfologia comparada. Participa na formação de mestres e doutores em Zoologia no Programa de Pós-graduação em Ciências Biológicas (Zoologia) da UFRJ. Abriga Coleção de Mollusca de representatividade mundial.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Marcelo Weksler
Endereço: Museu Nacional, Departamento de Vertebrados
Tel: (21)9571-4059
E-Mail: mweksler@mn.ufrj.br
Home: n/a
Atividade: O laboratório realiza pesquisa na área de zoologia, com ênfase em Sistemática, Filogenia e Biogeografia de Mamiferos, atuando principalmente nos seguintes temas: anatomia comparada, filogenética, DNA, taxonomia, Rodentia, Didelphimorphia, Chiroptera, Carnivora, Primates, e Cetacea.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Andrea Ferreira da Costa
Endereço: Departamento de Botânica
Tel: 21998470068
E-Mail: afcosta@acd.ufrj.br
Home: Não Informado
Atividade: A América do Sul abriga a maior biodiversidade de plantas neotropicais que, apesar de sua extraordinária riqueza, ainda é pouco estudada e subestimada. Nesta região, o Brasil constitui um repositório importante de milhões de organismos e altas taxas de endemismo. Nas paisagens neotropicais altamente diversificadas, a família Bromeliaceae é um dos componentes mais ricos em espécies, com 43 gêneros e 1.246 espécies registradas no Brasil, sendo 1.067 espécies endêmicas, o que faz do país um centro de diversidade para este grupo de plantas. Nossas pesquisas incluem quatro abordagens principais e altamente complementares da diversidade de espécies e da história evolutiva das bromélias. 1. Diversidade e biogeografia de Bromeliaceae Amazônica; 2. Biogeografia e conservação em Tillandsioideae; 3. Diversificação na subtribo Vrieseinae; 4. Atividades de extensão e educacionais. Instituições parceiras UNIRIO, UFRGS e Universidade de Gotemburgo. Nossos projetos são financiados pelo CNPq, FAPERJ, e CAPES-STINT 2018.
Unidade: Museu Nacional
Coordenador: Sonia Maria Lopes Fraga
Endereço: Quinta da Boa Vista - Horto Botânico
Tel: 21999492112
E-Mail: sonialfraga@gmail.com
Home: http://lattes.cnpq.br/6838553301681258; https://www.researchgate.net/profile/Sonia_Lopes_Fraga http://orcid.org/0000-0001-8522-799X http://adiversidadedasbaratas.wordpress.com
Atividade: - Atividades de pesquisa relacionadas a Taxonomia de Blattaria; - Atividades relacionadas a ministrar aulas no programa de pós graduação de zoologia; - Atividades relacionadas à orientação de alunos de iniciação científica, aperfeiçoamento, mestrado e doutorado; - Atividades de identificação de material de Blattaria para comunidade de pesquisadores do Brasil e do exterior; - Atividades de curadoria da coleção de Blattaria do Museu Nacional.